Miguel Torga

Portugal
12 Ago 1907 // 17 Jan 1995
Escritor/Poeta

49 Poemas

>>

Mãe (1)

Mãe:/ Que desgraça na vida aconteceu,/ Que ficaste insensível e gelada?/ Que todo o teu perfil se endureceu/ Numa linha severa e desenhada?/ / Como as estátuas, que são gente nossa/ Cansada de palavr...

Só eu Sinto Bater-lhe o Coração (2)

Dorme a vida a meu lado, mas eu velo./ (Alguém há-de guardar este tesoiro!)/ E, como dorme, afago-lhe o cabelo,/ Que mesmo adormecido é fino e loiro./ / Só eu sinto bater-lhe o coração,/ Vejo que son...

Conquista (3)

Livre não sou, que nem a própria vida/ Mo consente./ Mas a minha aguerrida/ Teimosia/ É quebrar dia a dia/ Um grilhão da corrente./ / Livre não sou, mas quero a liberdade./ Trago-a dentro de mim como...

Liberdade (4)

— Liberdade, que estais no céu.../ Rezava o padre-nosso que sabia,/ A pedir-te, humildemente,/ O pio de cada dia./ Mas a tua bondade omnipotente/ Nem me ouvia./ / — Liberdade, que estais na terra.....

Poema Melancólico a não sei que Mulher (5)

Dei-te os dias, as horas e os minutos/ Destes anos de vida que passaram;/ Nos meus versos ficaram/ Imagens que são máscaras anónimas/ Do teu rosto proibido;/ A fome insatisfeita que senti/ Era de ti,...

Dies Irae (6)

Apetece cantar, mas ninguém canta. / Apetece chorar, mas ninguém chora./ Um fantasma levanta/ A mão do medo sobre a nossa hora./ / Apetece gritar, mas ninguém grita./ Apetece fugir, mas ninguém foge....

Quase um Poema de Amor (7)

Há muito tempo já que não escrevo um poema/ De amor./ E é o que eu sei fazer com mais delicadeza!/ A nossa natureza/ Lusitana/ Tem essa humana/ Graça/ Feiticeira/ De tornar de cristal/ A mais sentime...

Viagem (8)

É o vento que me leva./ O vento lusitano./ É este sopro humano/ Universal/ Que enfuna a inquietação de Portugal./ É esta fúria de loucura mansa/ Que tudo alcança/ Sem alcançar./ Que vai de céu em céu...

Frustração (9)

Foi bonito/ O meu sonho de amor./ Floriram em redor/ Todos os campos em pousio./ Um sol de Abril brilhou em pleno estio,/ Lavado e promissor./ Só que não houve frutos/ Dessa primavera./ A vida disse ...

Portugal (10)

Avivo no teu rosto o rosto que me deste,/ E torno mais real o rosto que te dou./ Mostro aos olhos que não te desfigura/ Quem te desfigurou./ Criatura da tua criatura,/ Serás sempre o que sou./ / E eu...
>>

Facebook

Inspirações

Um Homem Comum

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE